ALUGUEL DE MESA PARA FESTA CLIQUE AQUI

Além da pandemia Covid-19 que matou quase 300.000 pessoas no país, a Índia também enfrenta surtos de fungos potencialmente mortais e problemas com a produção de vacinas.

Dados do Ministério da Saúde mostram que até este domingo (23), ocorreram 299.266 óbitos por Covid-19 no país, dos quais 3.741 ocorreram nas últimas 24 horas. De acordo com a Associated Press, dos 26 milhões de casos descobertos desde o início da pandemia, quase metade foi relatada nos últimos dois meses. Mesmo assim, ainda há subnotificação casos de casos.

As pessoas que se recuperaram do vírus também enfrentam uma segunda infecção: a mucormicose. A doença é causada por um fungo denominado “fungo preto”. Esta doença é relativamente rara e já existia na Índia antes da pandemia, mas ocorre com mais frequência em pessoas que se curaram do coronavírus.

A mucormicose é causada pela exposição aos fungos Mucor, geralmente encontrados no solo, no ar e até mesmo no nariz e no muco de humanos. Ele se espalha pelo trato respiratório e corrói as estruturas faciais. Às vezes, os médicos precisam de cirurgia para remover os olhos para evitar que a infecção se espalhe para o cérebro. Embora a taxa de mortalidade seja alta, ela não é contagiosa.

A Associated Press disse que Gowda não relatou o número de mortos, mas a mídia local relatou mais de 250 mortes pela doença.

“Antes, eu encontrava apenas alguns casos por ano, mas a taxa de infecção atual é chocante. Este é um novo desafio e a situação parece desoladora”, disse o presidente e chefe do departamento de endocrinologia e diabetes da Max Healthcare, a rede privada de hospitais na Índia, disse Ambrish Mithal à agência de notícias.

ALUGUEL DE MESA PARA FESTA CLIQUE AQUI

Mithal explicou que esta infecção pode afetar pacientes com sistema imunológico enfraquecido e doenças pré-existentes, especialmente aqueles com diabetes e uso inadequado de esteróides. Os níveis de açúcar no sangue não controlados aumentam o risco da doença em pessoas com problemas imunológicos.

Especialistas em saúde temem que a venda de medicamentos sem receita, incluindo esteróides, possa aumentar a prevalência de mucormicose. Na quinta-feira (20), o Ministério da Saúde pediu aos estados que rastreiem a propagação da doença e a declarem epidêmica, o que obrigou todos os centros médicos a notificar os casos à rede de vigilância federal.

Crise na produção de vacinas

A Índia é o maior produtor mundial de vacinas. Existem dois principais produtores de vacinas contra Covid-19: o Serum Institute em Pune, que produz vacinas Oxford / AstraZeneca (incluindo as exportadas para o Brasil) e a Bharat Biotech, em Hyderabad, que está produzindo sua própria vacina, a Covaxin, que autorizou os testes no Brasil na Anvisa há dez dias.

O país autorizou a empresa a iniciar a produção das doses no ano passado, enquanto aguardavam a aprovação formal dos reguladores. Tanto o governo quanto a empresa acreditam que, assim que a vacina for aprovada, eles teriam mais estoques do que realmente têm. Ambas as empresas enfrentam o problema de aumentar a produção.

O CEO do Serum Institute, Adar Poonawalla, disse à Associated Press em dezembro que a meta é produzir até 100 milhões de doses por mês até janeiro e distribuí-las igualmente na Índia e no resto do mundo. Mas o governo federal disse aos estados no mês passado que a empresa produz apenas 60 milhões de doses por mês.

A empresa disse que um incêndio na fábrica em janeiro e o embargo norte-americano à exportação das matérias-primas necessárias para tornar o agente prejudicaram a produção. Poonawalla disse à Associated Press que deixar o fornecedor dos EUA pode causar atrasos de até seis meses.

Krishna Ella, presidente da Bharat Biotech, disse a repórteres em janeiro que a empresa planeja produzir 700 milhões de doses em 2021. Mas o governo indiano disse aos estados no mês passado que a empresa produz apenas 10 milhões de doses por mês.

O governo também que para tentar ajudar a aumentar a produção das vacinas, estva dando á empresa milhões de dólares em doações.

ALUGUEL DE MESA NA ZONA SUL CLIQUE AQUI

Fonte: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2021/05/23/com-quase-300-mil-mortos-por-covid-19-e-surto-de-fungo-india-enfrenta-problemas-com-producao-de-vacinas.ghtml

Deixe uma resposta